Kusum Modak

Texto e foto do livro “Yoga Massagem Ayurvédica – A Transformação pelo Toque” de Alda Martinelli

Kusum Modak

Corria o ano de 1938, mais precisamente dia 28 de abril. O universo estava em polvorosa. Felizes, Danvanthari, Pantajali, e outros sábios e deuses indianos confabulavam sobre o destino daquela criança que estava chegando ao mundo. “Ela terá uma missão muito linda e importante a cumprir”, disse um deles. “Veja as mãozinhas”, disse outro, “dedos longos e fortes. Personalidade marcante e bondade infinita no coração”. “É”, falou finalmente Danvanthari, o pai da Ayurveda, “ela levará à humanidade uma importante e criativa vertente dessa ciência. E o limite não será a sua cidade natal, Pune, mas sim o mundo. Não será fácil a sua trajetória. Mas ela conseguirá, com muita garra, superar barreiras, físicas e culturais”. “E o nome?”, perguntou outra divindade. “Ah, o nome! Ela se chamará Kusum. Kusum Modak”. “Kusum significa Flor e, como tal, disseminará seu pólen, proliferando seu conhecimento”.

Caçula de três filhos, durante toda a sua infância e juventude Kusum sofreu com problemas de saúde, particularmente na coluna. Durante mais de 20 anos, percorreu uma longa, diária e disciplinada jornada na Yoga, sempre sob a orientação do exigente Shri B.K.S. Iyengar em seu instituto, em Pune. Os resultados no seu corpo foram tão surpreendentes que ela, anos depois, passou a adotar os alongamentos e as torções da Yoga em seu trabalho de massagem.

De família brâmane, ela tomou ainda jovem duas decisões corajosas sob o ponto de vista da cultura indiana: de não se casar e, depois, de dedicar-se totalmente à Yoga Massagem Ayurvédica, técnica que criou há mais de três décadas.

Aos 40 anos de idade, Kusum teve dois encontros que iriam transformar completamente sua vida. O primeiro foi com o yogi Iyengar e o segundo, com o mestre Limaye, homem simples, mas profundo conhecedor da arte da massagem tradicional indiana. A sensibilidade e a sabedoria desse último mestre despertaram em Kusum a força da cura, introduzindo-a nos caminhos da massagem.

Kusum herdou desses dois mestres uma forma simples e objetiva de se expressar, compartilhando seu trabalho com um misto de simplicidade e sofisticação. Regularmente, ela ministra sessões individuais em Pune, assim como treinamentos para profissionais da área da saúde do mundo todo, como médicos, terapeutas corporais, fisioterapeutas, instrutores de yoga e psicólogos, além de interessados de outros setores.

De pequena estatura, olhos ágeis e sempre atentos, a mestra – com seus 73 anos – se agiganta ao mostrar os intensos e delicados movimentos da massagem por ela idealizada. Suas mãos fortes e precisas vão esculpindo, lentamente, o corpo do paciente. “O corpo é um templo divino”, pontua a todo instante. “E, como tal, deve ser tratado com atenção e devoção”.

De uma maneira muito clara, simples e objetiva, Kusum consegue transmitir esse trabalho sério e complexo, cujo principal objetivo é sanar, na raiz, os diferentes problemas posturais e suas consequências. A mestra vai alongando, desfazendo nós de tensão e, como ela mesma enfatiza, “pouco a pouco, o corpo vai se abrindo como uma flor: pétala por pétala”. E, dessa forma, livres das tensões internas e externas, por meio de uma completa integração corpo-mente, vão ocorrendo as mudanças físicas e psicológicas.

Seus ensinamentos extrapolam o aspecto técnico da massagem. É uma lição muito mais ampla. Durante seus cursos, por meio de suas ações, ela mostra como ser firme e amoroso ao mesmo tempo, como ser compassivo, disciplinado e centrado. Ensina, ainda, como superar os limites físicos e mentais, a soltar as amarras, a meditar, a respeitar o próprio corpo do terapeuta e, consequentemente, o do paciente. Instrui o indivíduo a ser pleno e meditativo.

Anualmente, a partir do mês de outubro, pessoas de todo mundo se dirigem  a Pune em busca dos ensinamentos da mestra. São lições que extrapolam o bem-estar físico e mental de quem recebe a massagem, beneficiando também o próprio terapeuta.

Hand Mantra

Image

 

This beautiful mantra was taught by the dear master, Kusum Modak, creator of Yoga Ayurvedic Massage.

 

Karagre vasate Lakshmi

Kara Madhya Sarasvati

Kara muleshu Govindam

Prabhate Kara Darshanam

 

At the start of the hand lives Lakshmi, goddess of wealth

At the middle of the palm lives Sarasvati, goddess of wisdom

At the end of the hand live gods Shiva and Krishna

Thus, every morning when you wake up, you should look first thing at your hand and give thanks. Say Namaste to the gods who live there

 

Text and photo from the book “Ayurvedic Yoga Massage – Transformation Through Touch” by Alda Martinelli

Mantra das Mãos

Alda Martinelli - Mãos

Esse lindo mantra foi-nos ensinado pela querida grande mestra, Kusum Modak, criadora da Yoga Massagem Ayurvédica

 

Karagre vasate Lakshmi

Kara Madhya Sarasvati

Kara muleshu Govindam

Prabhate Kara Darshanam

No começo da mão mora Lakshmi, a deusa da riqueza

No meio da palma vive Sarasvati, a deusa da sabedoria

No final da mão moram os deuses Shiva e Krishna

Então, todas as manhãs, quando acordar, olhe primeiro para

suas mãos e agradeça. Diga namastê aos deuses que ali residem

Texto do livro “Yoga Massagem Ayurvédica – A Transformação pelo Toque” de Alda Martinelli